Maurício de Souza e Michael Jackson

terça-feira, 30 \30\UTC junho \30\UTC 2009

É.

Michael Jackson morreu. A ficha ainda não caiu direito. Foi o mesmo com o Ayrton Senna, os Mamonas Assassinas, a Cássia Eller. E, por que não dizer? Quando o Claudinho, parceiro do Buchecha morreu.

Eu tinha 13 anos quando Michael Jackson veio ao Brasil para a apresentação em São Paulo. Queria muito ter ido, mas não foi possível. As canções dele que mais gosto são “Smooth Criminal”, “Beat it” e “Billie Jean”.

Como era de se esperar, a mídia do mundo inteiro, em todos os seus canais, não terão outro assunto por algum tempo. Nos quadrinhos não poderia ser diferente. Soube pelo Universo HQ que Maurício de Souza também fará sua homenagem ao Rei do Pop. Os esboços da história, a ser publicada em setembro, já foram divulgados no Twitter do Maurício de Souza.

A história se passa no núcleo da turma do Penadinho, que está ansiosa pela chegada do ídolo. Eles se caracterizam como o cantor e dançam o Moonwalk alucinadamente. É quando chega Dona Morte… sozinha! Ao ser questionada sobre o paradeiro de Michael Jackson ela esclarece que os “artistas que chegam vão direto para “. Na transição de quadro vemos Michael Jackson, no Céu, de asas e auréola, ensinando o Moonwalk para uma legião de anjinhos.

Michael Jackson em Neverland II

Um pouco de senso crítico agora.

As crianças que são o público-alvo principal das revistas da Turma da Mônica não conhecem o Michael Jackson que as pessoas da geração 80 conheceram.

Para essas crianças, quando se fala em Michael Jackson, o que vem à mente é aquela figura bizarra, que sofreu sérias acusações de pedofilia (acusações, aliás, com indícios fortíssimos). Minha filha, por exemplo, quando era menorzinha, chorava de medo quando via o Michael na TV.

Eu acho que essa história é uma bola-fora do Maurício. Michael Jackson no Céu, dançando com um monte de “anjinhos”? Impossível não comparar com Neverland.

Aquele abraço!

Anúncios